Lilith – Núcleo de Pesquisas em Direito e Feminismos
  • Campanha # FALE – Participe

    Publicado em 29/07/2018 às 10:54

    A Campanha #FALE, lançada em julho de 2018, objetiva incentivar as mulheres acadêmicas a falarem sobre as situações de discriminações ocorridas em ambiente acadêmico, especialmente as acadêmicas do Direito-CCJ/UFSC. Tais ocorrências se configuram (a) pelas invocações discriminatórias de que as mulheres não podem ou não devem falar e devem se calar; (b) pelas situações discriminatórias de interrupção discursiva contumaz das mulheres; (c) pela crença discriminatória de que a pessoa do gênero masculino possui legitimidade para representar as mulheres em suas ideias, pensamentos, sentimentos e valorações de comportamentos; (d) pela usurpação indevida de ideias das mulheres, por parte dos homens; (e) pelas falas e comportamentos nefastos de que as mulheres não seriam bem-vindas em determinados espaços.

    Após fixação dos cartazes referentes à Campanha no CCJ/UFSC, no início do semestre 2018-2, gostaríamos de conhecer as reações de colegas e de docentes sobre esse movimento, bem como dar continuidade à seleção de frases discriminatórias que são faladas no ambiente jurídico.

    Os formulários dos links abaixo, portanto, servem para (a) descrição de para relatos, de modo anônimo, acerca de tais reações e para (b) mulheres acadêmicas descreverem, de modo anônimo, sobre as situações de discriminações ocorridas em ambiente acadêmico, especialmente no CCJ/UFSC.

    Formulário para relato de situações:

    https://goo.gl/forms/6DXDw2ekwdO37zZH3

    Formulário para relato de reações:

    https://goo.gl/forms/dEOCfYD0RhKNznr53

    Outro espaço para tanto é o Grupo de Estudos Outras Narrativas, que ocorre na sala 205CCJ/UFSC, às quartas, das 17h às 18h30 (a partir do dia 8-8-2018).

    Os dados colhidos serão utilizados para pesquisa sobre a temática, bem como para aperfeiçoamento da Campanha.

    Sua voz importa; queremos te ouvir.


  • Resultado Final – Seleção de Bolsistas de PIBIC 2018-2019

    Publicado em 27/07/2018 às 16:06

    A PROFESSORA GRAZIELLY ALESSANDRA BAGGENSTOSS, no uso de suas atribuições, conforme disposto no item 3.6.5 do Anexo III da RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 17/CNPq, DE 06 DE JULHO DE 2006, no artigo 17 da RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 39/CUn, DE 20 DE MAIO DE 2014 e no item 6.3.1 do Edital Propesq nº 01/2018, na SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – 2018/2019, informa o preenchimento das vagas de pesquisadora bolsista e de pesquisadora voluntária, respectivamente, pelas acadêmicas:

    • Tamara Camila Freitag (Matrícula: 15100139)
    • Marina Zimermann Kohntopp (Matrícula: 17206520)

    Assim, encerra-se a seleção PIBIC 2018-2019, e dá-se início, a partir de agosto/2018, ao desenvolvimento da pesquisa proposta à PROPESQ/UFSC.
    A Equipe Lilith dá boas vindas às acadêmicas aprovadas, na certeza de que realizaremos, juntas, um ótimo trabalho.
    Edital 2018-2019 PIBIC Grazy – encerramento


  • Resultado das inscrições deferidas da Seleção de Bolsistas PIBIC – 2018/2019

    Publicado em 25/07/2018 às 16:47

    A PROFESSORA GRAZIELLY ALESSANDRA BAGGENSTOSS, no uso de suas atribuições, conforme disposto no item 3.6.5 do Anexo III da RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 17/CNPq, DE 06 DE JULHO DE 2006, no artigo 17 da RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 39/CUn, DE 20 DE MAIO DE 2014 e no item 6.3.1 do Edital Propesq nº 01/2018, na SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – 2018/2019, informa o resultado as inscrições deferidas:

    1. vaga de PIBIC para bolsista de acordo com o resultado PIBIC 2018/2019: Tamara Camila Freitag (Matrícula: 15100139)
    1. vaga de pesquisadora voluntária (PIBIC voluntário): Marina Zimermann Kohntopp (Matrícula: 17206520)

    A próxima etapa da seleção, condizente à avaliação sobre os textos previstos no edital de PIBIC lançado pela Professora Grazielly Alessandra Baggenstoss, ocorrerá na sexta-feira próxima, dia 27 de julho de 2018, às 14h, nos termos do instrumento editalício, visando a avaliar o conhecimento das candidatas sobre a temática do projeto de pesquisa em referência.

    Informações: Edital 2018-2019 PIBIC Grazy – inscrições deferidas


  • ATIVIDADES ABERTAS 2018-2

    Publicado em 14/07/2018 às 15:46
    AS ATIVIDADES ABERTAS DO LILITH RETORNAM EM 2018-2
    O Lilith: Núcleo de Pesquisas em Direito e Feminismos UFSC/CNPq informa que, no semestre 2018-2, retomará as suas atividades abertas com o Grupo de Estudos “Outras Narrativas” (Programa de Extensão n. 201811475, SigPex).
    A coordenação das atividades será atribuição da Profa Dra. Grazielly Alessandra Baggenstoss, que conduzirá as atividades juntamente com Profa Dra.Luana Renostro Heinen, contando com a participação de outras professoras a serem convidadas oportunamente.
    Serão textos referenciais os livros Calibã e a Bruxa, de Silvia Federici, e O Contrato Sexual, de Carole Pateman.
    Online:
    Calibã e a Bruxa: https://goo.gl/c8shfK
    O Contrato Sexual: https://goo.gl/mfG6mH
    As atividades ocorrerão semanalmente, a partir do dia 08/08/2018:
    >Quando?
    Às quartas, das 17h às 18h30
    > Onde?
    Na sala 206, do CCJ
    > Tem carga horária??
    Tem, sim, kiridx: 20h/a, com 75% de frequência

    Todas e todos são bem-vindas <3

    Maiores informações, Lilith – Projeto de Atividades 2018.


  • Campanha #FALE

    Publicado em 13/07/2018 às 21:31

    LILITH: NÚCLEO DE PESQUISAS EM DIREITO E FEMINISMOS lança a Campanha #FALE, para incentivar as mulheres acadêmicas a falarem sobre as situações de discriminações ocorridas em ambiente acadêmico, especialmente no CCJ/UFSC. Tais ocorrências se configuram (a) pelas invocações discriminatórias de que as mulheres não podem ou não devem falar e devem se calar; (b) pelas  situações discriminatórias de interrupção discursiva contumaz das mulheres; (c) pela crença discriminatória de que a pessoa do gênero masculino possui legitimidade para representar as mulheres em suas ideias, pensamentos, sentimentos e valorações de comportamentos; (d) pela  usurpação indevida de ideias das mulheres, por parte dos homens; (e) pelas falas e comportamentos nefastos de que as mulheres não seriam bem-vindas em determinados espaços.

    A Campanha #FALE, portanto, também denuncia tais ocorrências, trazendo determinadas frases à expressão, à discussão e à reflexão. Mulheres têm voz, mulheres estão presentes, mulheres ocupam lugares, mulheres existem, resistem, e transformam realidades.

    Fundando-se na performatividade dos atos de fala e na produção de efeitos dos discursos, a Campanha também se vincula à ideia do Movimento #SeuSilêncioCompactua, realizado pelas acadêmicas e acadêmicos do Curso de Direito da UFSC (2015), o qual alerta para os sentidos de nossos comportamentos, especialmente para as omissões frente às situações discriminatórias, as quais legitimam a discriminação estrutural e reforçam comportamento nocivos às relações interpessoais e à saúde da comunidade acadêmica.

    O convite da Campanha é para refletirmos sobre nossas relações interpessoais dentro da Universidade, mas também pode se estender para nossa forma de convivência em todos os nossos cenários.

    Algumas frases mencionadas nos cartazes foram elaboradas a partir de falas discriminatórias apuradas na pesquisa do tipo levantamento, realizada pela acadêmica do Curso de Graduação em Direito Marina Z. Kohntopp, como atividade de pesquisa da disciplina Direito e Feminismos. As outras frases foram adaptações de expressões veiculadas nos cartazes da Campanha Contra o Assédio Sexual, com a hashtag #UniUnie, na Universidade de Genebra, Suíça (UNIGE), com quem estabelecemos parceria.

    Maiores informações e ações: CAMPANHA FALE.


  • Seleção de Bolsistas de PIBIC 2018/2019

    Publicado em 12/07/2018 às 19:41

    A professora Grazielly Alessandra Baggenstoss torna pública a abertura das inscrições para bolsista PIBIC e estabelece as normas para realização de processo seletivo destinado a classificar alunas e alunos que irão desenvolver atividades de iniciação científica nos semestres de 2018/2 e 2019/1.

    Há uma vaga para PIBIC bolsista e previsão de uma vaga para PIBIC voluntário no Projeto de Pesquisa denominado “ENSINO DO DIREITO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA: O EXAME SOBRE O CURRÍCULO DE AÇÃO PELA PERSPECTIVA DO GÊNERO NO ANO DE 2018”, vinculado ao Lilith: Núcleo de Pesquisas em Direito e Feminismos – UFSC/CNPq.

    Maiores informações no Edital.


  • Nota de Apoio – Acadêmicas da UDESC

    Publicado em 11/06/2018 às 15:37

    Segundo noticiado pela mídia local e nacional, bem como manifestações pelas redes sociais, alunas da Universidade Estadual de Santa Catarina- UDESC denunciam sofrerem assédio sexual cometido por um professor da instituição.

    O inquérito, concluído na semana passada, indicia o professor como autor de perturbação à tranquilidade, fato tipificado como contravenção penal. Há, ainda, outro inquérito em andamento, acerca de caso de estupro.

    O enquadramento em perturbação da tranquilidade, ainda em fase de inquérito, dá indícios de incompreensão acerca da aplicabilidade do crime de assédio sexual, nos termos do art. 216-A, do Código Penal.

    Diante nisso, segue nossa Nota de Apoio, entendendo que é necessário repensarmos a universidade e as instituições policiais e jurídicas acerca da violência contra as mulheres.


  • Nota de Apoio – Relato de racismo

    Publicado em 04/06/2018 às 15:44

    Há relatos de casos de racismo praticados pela torcida da PUC-Rio durante os Jogos Jurídicos em Petrópolis, na Região Serrana. Segundo os relatos, alunos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade Católica de Petrópolis (UCP) foram os alvos (mais informações: https://goo.gl/iFvvaj).

    Diante disso, o Lilith declara apoio às acadêmicas e acadêmicos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Universidade Federal Fluminense – UFF e Universidade Católica de Petrópolis – UCP,  firmando-se, enquanto nossa área de pesquisa e luta, como inaceitável que estudantes de Direito se silenciem diante de qualquer forma de violência, e intolerável que fomente e/ou reproduzam qualquer forma de violência, e exigindo providências.


  • Nossas boas vindas a você!

    Publicado em 30/05/2018 às 13:39

    “E o risco que assumimos aqui é o do ato de falar com todas as implicações. Exatamente porque temos sido falados, infantilizados (infans é aquele que não tem fala própria, é a criança que se fala na terceira pessoa, porque falada pelos adultos) que neste trabalho assumimos nossa própria fala. Ou seja, o lixo vai falar, e numa boa” (Lélia Gonzalez).